Inventário Florestal

Conceito de Inventário Florestal (extraído de Inventários Florestais - Planej. e Execução - C.R.Sanquetta e outros-2.006)

Conforme definido por PÉLLICO NETTO e BRENA (1997), “inventário florestal é uma atividade que visa obter informações qualitativas e quantitativas dos recursos florestais existentes em uma área pré-especificada”. Esse conceito é bastante genérico, pois qualquer tipo de levantamento florestal poderia ser considerado um inventário. De fato, inventário florestal pode ser qualquer tipo de levantamento florestal, porém a “marca registrada” de um inventário é a sua representatividade amostral e sua validade estatística. Existem diversos tipos de levantamentos florestais que não se valem de técnicas de amostragem (mesmo que se trate de um censo ou enumeração completa), se constituindo, muitas vezes, em trabalhos contestáveis e sujeitos às mais diversas críticas.

 

Há muito tempo as grandes empresas e produtores florestais já tomam suas decisões baseadas em Inventários Florestais. Os demais produtores florestais ainda não sentiram essa necessidade.

Para o produtor, o inventário florestal tem duas utilidades básicas:

- Fornecer informações de diâmetro, altura, área basal e volume para o viabilizar o manejo florestal e possibilitar o ritmo ideal de crescimento para a floresta.

- Possibilitar mais segurança ao produtor florestal na hora de vender a madeira. Quanto mais próximo do dinheiro, maiores a chances de ocorrer desvios. E as pessoas que trabalham com o corte de madeira estão muito próximas do dinheiro. É muito fácil que uma carga de madeira saia do imóvel sem que o proprietário fique sabendo. E, como diz o ditado: "onde passa um boi passa uma boiada".

Como em toda profissão, existem os bons e os maus profissionais. E os maus profissionais podem causar prejuízos significativos. Pode acontecer que o produtor florestal compre um imóvel, forme a floresta, espere 10 anos para chegar em ponto de corte, faça um "ótimo" negócio conseguindo um preço maior que o mercado e ao final descubra que não obteve o retorno esperado porque o volume de madeira ficou abaixo da expectativa. 

Outro caso comum é quando alguem contrata uma operação de corte de madeira, faz a medição e paga a madeira cortada. Pode acontecer que na hora de vender o produto vá perceber que o volume vendido é bem menor do que o volume cortado.      

São várias as maneiras de fraudar medições de madeiras. Desde a simples formação de "gaiolas" (espaços ocos no meio das pilhas de madeira) até a saida da madeira sem que o proprietário tenha conhecimento.

O Inventário Florestal existe para evitar essa situação. Feito estatísticamente, não vai determinar exatamente o volume de madeira a ser extraido, mas sim um Intervalo de Confiança, com volumes máximo e mínimo e precisão determinada. Normalmente o erro máximo admitido é de 10% (dez por cento para mais ou para menos) e nível de probabilidade (possibilidade que isso aconteça), de 95% (noventa e cinco por cento). Assim sendo, o proprietário já entra na negociação sabendo qual o volume  esperado,

Clique aqui para consultar os tipos de Inventários Florestais mais usados.